a razão de ser, por ssru

As notícias desta semana são avassaladoras e tiram-nos a barriga da fome. Se motivos fossem necessários para existirmos, aquelas são uns excelentes exemplos.

Muito ponderamos sobre a nossa actuação e se valerá a pena esta exposição, ainda que sob anonimato, não deixa de ser uma exposição por vezes prejudicada e incómoda para nós. Interrogamo-nos tantas vezes se valerá o esforço de remar contra esta maré que se encontra carregada de péssimos marinheiros, piratas em busca do ouro fácil, barões das especiarias de beira-rio.

A velocidade a que os desastres acontecem e saltam (felizmente) para a ribalta das notícias, assume frequentemente um efeito perverso e desmotivador que nos remete para a nossa insignificância, o nosso viver comezinho nesta rua do centro histórico que é igual a tantas outras, cheia de problemas de todo o tipo, sobretudo os sociais. Mas vamos aos assuntos:

PS e CDU temem consequências da “cidade subterrânea”

http://jornal.publico.pt/noticia/07-04-2010/ps-e-cdu-temem-consequencias-da-cidade-subterranea-19141073.htm

Este fantasma dura já há imenso tempo e nem com os nossos votos natalícios ele desapareceu. Ninguém foi capaz de dizer ao arquitecto Rui Loza que o que saiu da sua cabeça, preparando-se para ser realidade, é uma tremenda insanidade, mesmo que a Europa nos ‘ajude’ a pagar o bolo. Só alguém que abomina o Centro Histórico do Porto pode conceber algo desta magnitude, certamente coadjuvado por uns bobos da corte que orbitam pela Porto Vivo e pela CMP e colaboram nesta ignomínia. Para breve as nossas razões e explicações.

Esplanada de Parada Leitão abre hoje sob suspeita de ilegalidade

http://jornal.publico.pt/noticia/07-04-2010/esplanada-de-parada-leitao-abre-hoje-sob-suspeita-de-ilegalidade-19140992.htm

Que história rocambolesca esta, sendo que o mais curioso é que a obra é mesmo ilegal. Não é por os serviços camarários da via pública a terem aprovado, que ela assume a necessária legalidade para se poder materializar. E vejam, só agora, depois de pronta ou de iniciarem a construção é que foram pedir a opinião da tutela nacional! Sintomático! Este novelo está na calha para ser desenrolado, em breve.

Movimento pelos jardins do Palácio não desistiu de referendar o centro de congressos

http://jornal.publico.pt/noticia/07-04-2010/movimento-pelos-jardins-do-palacio-nao-desistiu-de-referendar-o-centro-de-congressos-19140827.htm

Já escrevemos aqui sobre este assunto e nessa ocasião surgiu a ideia dos novos corpos poderem aproveitar a construção do parque de estacionamento. Dada a ilegalidade que infesta todo este processo, mesmo com a reconhecida qualidade do autor do projecto, endereçamos um apelo ao Movimento para que não desista de ver reconhecido um direito de pertença da cidade aos seus cidadãos.

Ex-trabalhadores não entraram no Rivoli

http://jornal.publico.pt/noticia/07-04-2010/extrabalhadores-nao-entraram-no-rivoli-19141001.htm

Por fim e para não deixar de falar em ilegalidades, alguém poderá explicar-nos como é que uma situação destas acontece? Como é que os responsáveis por esta autarquia se permitem a este dislate? Trata-se de um processo com relativas semelhanças com o despedimento que há uns tempos aconteceu na FDZHP, alguém se lembra disso? Para onde foi esta mão-de-obra qualificada?

Em resumo, que podemos nós fazer perante tudo isto, esta força destruidora que é indiferente a tudo o que atrapalhe a sua visão saloia do lucro.

Para começar podemos existir! E depois esperar que alguém nos oiça…

Anúncios